Header Ads

Compulsão por Doces - por Karyna Pugliesi nutricionista




Começo esse post com uma pergunta: Será que você não está comendo aquele docinho, simplesmente para tentar preencher um vazio emocional e se sentir melhor?

Os alimentos estão fortemente conectado às nossas emoções, e a vontade de comer doce toda hora ou todos os dias pode não ser apenas uma gula ou costume como você acha. Por trás desta compulsão alimentar pode haver uma desordem bioquímica entre nutrientes e hormônios.

Vamos entender um pouco sobre as reações e sensações do açúcar em nosso corpo.

Doces, são carboidratos com alto índice glicêmico que elevam rapidamente a glicose em nossa corrente sanguinea e assim possuem condições maiores de promover síntese de serotonina.

Uma das funções da serotonina, é a sensação de bem estar, auto confiança e autoestima que ela produz, e para algumas pessoas, cujos níveis de serotonina são baixos, o açúcar funciona até mesmo como uma automedicação.

Se os açúcares promovem liberação maciça de serotonina e sensação de bem estar, o que acontece posteriormente? Depleção da mesma. E ai, cataploft!!! É preciso comer mais doce, para novamente produzir mais serotonina e assim surgir o falso efeito da felicidade, pronto está gerado um círculo vicioso.

E tem mais um detalhe, ao consumir os carboidratos de alto índice glicêmico, aumentamos os níveis de produção de insulina e temos mais chances de engordar não somente pelo excesso de açúcares que serão transformados em gordura, e sim porque a insulina é um hormônio anabólico, ou seja ela engorda!

Pesquisas recentes mostraram que o vício no açúcar leva a compulsão e a síndrome de abstinência, já que as áreas do cérebro ativadas pela compulsão açucarada são as mesmas atingidas no vício de drogas, o que prova a real capacidade viciante do açúcar.

Além disso, o estresse pode ser também um desencadeador. Ele aumenta a excreção renal de nutrientes importantes e ainda diminui a absorção intestinal de outros associados à compulsão, o que favorece o círculo vicioso, e a dificuldade em perder peso, uma vez que há maior liberação do cortisol, conhecido hormônio do estresse.

Veja alguma dicas úteis para o combate à sua compulsão:

- Tenha fracionamento na dieta, comer a cada três horas mantém estável a glicose sanguínea e a fome;

- A dieta deve estar equilibrada e o consumo de carboidratos complexos, deve estar associado em refeições que você sente maior desejo por doces, esse desejo aumentado pode estar sinalizando apenas uma necessidade maior de carboidratos na dieta;

- Certifique-se que sua dieta contém adequadas porções de proteína animal e vegetal, uma quantidade satisfatória pode aumentar a saciedade e diminuir sua vontade por doces;

- Aumente o consumo de alimentos ricos no aminoácido triptofano, que é precursor do hormônio serotonina. Banana, feijão, lentilha, nozes, leite e derivados são exemplos;

- Excluir radicalmente o doce do cardápio pode não ser a melhor opção, estipular uma quantidade e frequência semanal favorecerá uma melhor adesão ao tratamento dietoterápico;

- Em hipótese alguma consumir doces com o estômago vazio, pois a queda na glicemia muito rápida provocará maior compulsão pelo mesmo;

- Opte por consumir o doce, após refeições com bom conteúdo de proteínas, gorduras e fibras para que a liberação da glicose e produção de insulina na corrente sanguínea sejam gradativas;

- Escolha alguns substitutos naturais ao açúcar para adoçar como: mel, frutas frescas e secas. Para muitos não causam as mesmas reações que o açúcar e ainda agregam valor nutricional;

- Não utilize aspartame como substituto ao açúcar, ele diminui a biodisponibilidade do aminoácido triptofano, reduzindo os níveis cerebrais de serotonina, contribuindo indiretamente para mudanças de humor;

- Pode ser útil a suplementação nutricional. Cromo, biotina e glutamina, diminuem o vício por doces. Além disso, estão indicadas as vitaminas C e do complexo B. A dieta apropriada associada a uma suplementação é a combinação ideal ao combate a compulsão;

- Os exercícios físicos podem ajudá-lo a diminuir o consumo de chocolate. Pesquisas preliminares têm descoberto que exercícios aumentam os níveis de feniletilamina e que poderia ser responsável pelos benefícios psicológicos do exercício;

Portanto, estando o seu metabolismo em equilíbrio, e com as modificações dietéticas citadas, menor será a compulsão por doces.


Dra. Karyna Pugliesi

 https://www.facebook.com/pages/Dicas-de-Dietas-e-Nutri%C3%A7%C3%A3o-por-Karyna-Pugliese/381696831937397?fref=ts

Nenhum comentário

Se você tem um comentário, seja ela uma dúvida, crítica ou sugestão, este espaço é aberto para você:

Tecnologia do Blogger.