Header Ads

O tabagismo e a ligação direta com a flacidez cutânea e o envelhecimento precoce

O tabagismo, até agora visto como fator secundário de envelhecimento da pele, já é considerado o principal causador de rugas profundas no rosto e flacidez. Acompanhe e entenda.

Não é só o tempo, o cigarro é que está te envelhecendo

A sensação de que o tempo voa parece cada vez mais fora de nosso controle não é mesmo? Sendo assim, um dos maiores desafios da vida é lidar com a passagem do tempo da melhor maneira possível. E que tal começar pelo maior e mais exposto órfão do corpo? A nossa pele! Que está diretamente ligada a estética do ser humano, e por esse motivo é que é tão necessário conservá-la.
No entanto, para os fumantes, a combinação do efeito causado pelo cigarro com aqueles causados pela exposição solar e o envelhecimento natural torna isso quase que impossível.
Na pele dos fumantes, a produção das fibras que dão firmeza à pele (colágeno e elastina) é diminuída. Além disso, há um aumento das enzimas que digerem a substância que dá sustentação às células, levando também à degradação das fibras citadas anteriormente. O cigarro ainda promove uma diminuição dos níveis de antioxidantes no sangue e estimula a liberação de íons superóxidos pelas células de defesa, os leucócitos. Tudo isso favorece o surgimento de lesões celulares, muitas vezes, irreversíveis.

Cigarro e os efeitos devastadores na sua aparência

Pois é, todo mundo sabe que o cigarro é causador de diversos problemas para o organismo e compromete a saúde. Mas além das doenças, os danos causados pelo tabagismo também podem ser percebidos externamente.

Algumas características mais típicas da pele de um fumante:

· Rugas de expressão mais evidentes, principalmente ao redor da boca (código de barras);
· Pele flácida com as saliências ósseas do rosto mais proeminentes;
· Olheiras profundas;
· Pele com aspecto de “cera”, coloração amarelo- acinzentada, pálida e sem viço;
· Doença pulmonar associada ao fumo;
· Dentes amarelados pelo depósito de alcatrão e nicotina.

Tabagismo x Pele

O fumante tem 4,7 vezes mais chance de ter rugas do que o não-fumante. O hábito de fumar pode destruir as fibras que sustentam a pele do rosto, provocando sulcos na região da boca e em volta dos olhos. A fumaça do cigarro ativa os genes responsáveis pela criação de uma enzima que faz a quebra das moléculas de colágeno da pele.
Estudos realizados pela Universidade de Ouiu, na Finlândia, com 47 fumantes e 51 não-fumantes, e vários outros estudos de revistas médicas como a Souther Medical Journal, concluíram que os fumantes apresentam bem mais precocemente rugas no rosto e aparência da pele envelhecida, quando comparados com pessoas da mesma idade que não fumam. Terrível não?

Envelhecimento precoce

Tudo isso acontece porque o mecanismo que conduz ao envelhecimento precoce está associado à vasoconstrição periférica, isto é, à diminuição do fluxo sanguíneo na pele. Isso significa menor oferta de nutrientes e de oxigênio, o que constitui um envelhecimento prematuro com diminuição da produção de colágeno. Como se não bastasse, cada cigarro leva a um período de vasoconstrição ou de diminuição do aporte de sangue, oxigênio e nutrientes na região da pele, durante 45 minutos. Havendo um aumento do consumo do colágeno e da elastina, elementos que proporcionam brilho, tônus e elasticidade à pele.
O hábito de fumar leva também ao aparecimento de rugas ao redor da boca. Primeiro, pelo consumo de elementos estruturais da pele, e segundo, pela contração de músculos ao redor dos lábios, levando ao surgimento de sulcos e à diminuição dos lábios. Como os músculos da face são interligados, juntamente com o aparecimento de rugas por toda a face, é muito comum o surgimento das bolsas malares.

Os danos são maiores em mulheres?

Sim. Alguns estudos também sugerem que as mulheres apresentam um risco de envelhecimento precoce, pelo cigarro, maior do que os homens porque a nicotina interfere no fluxo de estrógeno (hormônio atuante na síntese do colágeno e da elastina) para a pele.

tabagismo
O tabagismo acelera a flacidez cutânea

Como vimos, a pele do fumante passa por uma série de processos químicos, sofre várias alterações nos feixes de colágenos e elastina desestruturando as camadas da pele deixando-as com aspecto murcho, mais fino, resultando em rugas finas e intensas. Dificulta a produção da hidratação natural da pele, tornando-a mais seca, quebradiça e sem brilho, além de provocar uma fragmentação das fibras elásticas resultando em Flacidez.

Adote já hábitos mais saudáveis, sua pele agradece!

Apesar de muitos malefícios do tabagismo já serem de conhecimento público, vale considerar, o mais rápido possível, a adoção de um estilo de vida saudável, de forma a reverter o quadro de envelhecimento precoce.

Conheça alguns tratamentos para amenizar as marcas do cigarro

Para quem deseja melhorar a qualidade da pele de quem fuma é o uso de cremes à base de ácido retinóico, hialurônico e antioxidantes, como a vitamina C. Já como procedimentos, podem ser feitas aplicações detoxina botulínica e preenchimentos para a atenuação de linhas de expressão. Se o foco é reduzir manchas, o mais indicado é a luz pulsada.

Fonte: Instituto Lerner SP

Nenhum comentário

Se você tem um comentário, seja ela uma dúvida, crítica ou sugestão, este espaço é aberto para você:

Tecnologia do Blogger.