Header Ads

Família paranaense viaja pelos EUA fotografando casamentos americanos

Viver uma vida sem rotina, trabalhar apenas com o que gosta e ainda levar toda a família para uma aventura do outro lado do mundo é o sonho de muita gente. Se para algumas pessoas esse desejo fica apenas no papel, para outras tudo se torna realidade. É o caso do casal de fotógrafos paranaenses Grasiele Favoreto, Daniel Correa e do filho deles Otto, de 8 anos.
O casal, que é de Londrina, no norte do Paraná, mas trabalhava em Curitiba, decidiu se mudar para os Estados Unidos em 2012 para fotografar casamentos.

Até 2016, a família toda vai percorrer os 50 estados americanos em um van adaptada para registrar as mais variadas histórias de amor.

“Quando o Otto nasceu a nossa ideia era proporcionar a ele a chance de conviver com diferentes culturas. Então começamos a trabalhar bastante, passávamos mais dias em frente ao computador do que propriamente fotografando. Quando o Otto fez 3 anos ele começou a questionar porque nunca tínhamos tempo para ele. Então percebemos que não estávamos felizes e resolvemos mudar as nossas vidas”, lembra Grasi Favoreto.
Grasiele, Daniel e Otto percorrem os Estados Unidos fotografando casamentos em uma van adaptada (Foto: Arquivo Pessoal/ Grasi Favoreto)Grasiele, Daniel e Otto percorrem os Estados Unidos fotografando casamentos em uma van adaptada (Foto: Arquivo Pessoal/ Grasi Favoreto)
O questionamento do filho mexeu tanto com o casal que dois anos depois, após cumprirem os contratos já estipulados, a família embarcava para o outro lado do mundo.

Adaptaram uma van- com quarto, banheiro, sala e cozinha – montaram um site (Rocker in love) e começaram a rodar pelos estados americanos.
Daniel e Grasiele eram fotógrafos no Paraná e decidiram mudar de país para ficar mais tempo junto do filho (Foto: Arquivo Pessoal/ Grasi Favoreto)Daniel e Grasiele fotografavam casamentos no
Paraná, mas decidiram mudar de vida para ficar
mais tempo com a família (Foto: Arquivo Pessoal/
Grasi Favoreto)
“Antes desse projeto, esporadicamente, fazíamos alguns trabalhos na Flórida e ficávamos fascinados com os casamentos daqui. Há os mais variados estilos e toda a família se envolve com os preparativos. Então decidimos apostar e está dando certo”, diz a fotógrafa.

Foi a partir daí que o Otto ganhou a primeira câmera fotográfica e passou a registrar cenas inusitadas de casais de noivos. Desde então, os três não se desgrudam.

“O Otto cresceu dentro do estúdio em Curitiba, sempre teve contato e participava das nossas conversas. Agora, os noivos o adoram, pedem para tirar foto e as noivas sempre dançam com ele”, diverte-se.

Enquanto eles viajam de um estado para outro, Otto também estuda. Os Estados Unidos permitem que qualquer criança complete o ano escolar estudando fora da escola.
A família já fotografou casamentos realizados em barcos, zoológicos, aquários e nos quintais de casas (Foto: Arquivo Pessoal/ Grasi Favoreto)A família já fotografou casamentos realizados em barcos, zoológicos, aquários e nos quintais de casas (Foto: Arquivo Pessoal/ Grasi Favoreto)
Trabalho no outro lado do mundo
Os três já fotografaram casamentos em barcos, quintais de casas, aquários, zoológicos, dentro de parques da Disney e também no Central Park, em Nova York. Casamentos nada convencionais, que fazem os paranaenses desejarem por mais trabalhos.

Segundo os fotógrafos, os noivos americanos são mais práticos. “É difícil encontrar uma noiva que fica mandando e-mail e telefonando. Muitos noivos assinam o contrato e mandam por correio junto com um cheque”, explica Grasiele.

“Dessa forma, cada casamento é uma surpresa. As festas são reflexos da forma como os noivos levam a vida. É a personalidade deles refletida nos mais variados detalhes”, acrescenta.
O pequeno Otto também já fotografa os casamentos com os pais. Além de ajudar, muitas vezes, também é atração da festa (Foto: Arquivo Pessoal/ Grasi Favoreto)O pequeno Otto também já fotografa casamentos
com os pais. Além de ajudar, muitas vezes,
também é atração da festa (Foto: Arquivo Pessoal/
Grasi Favoreto)
O projeto deve ser concluído no fim de 2016. Os fotógrafos ainda não sabem se vão deixar o país nessa época, se voltam para o Brasil ou se vão embarcar em um novo desafio.

“Estamos com ideias de fazermos coisas diferentes em outros lugares. Ainda não definimos, mas não sabemos quando voltamos para o Brasil”, conclui.

Fotos dos trabalhos e o mapa de estados por onde a família já passou, podem ser vistos nosite Rocker in Love.

Nenhum comentário

Se você tem um comentário, seja ela uma dúvida, crítica ou sugestão, este espaço é aberto para você:

Tecnologia do Blogger.