Header Ads

Dicas infalíveis para sucesso no penteado de noiva by Paulo Persil

Fonte Hair Brasil
http://www.hairbrasil.com/







1. Penteado de noiva é coisa de especialista. Mesmo os looks mais simples, semi-presos ou soltos, dependem de um acabamento especial, de beleza e fixação. Esse penteado marcará a mulher em um álbum por gerações. Além disso, além da parte técnica do cabelo e, claro, de todos demais serviços de beleza envolvidos, há a necessidade de cumprir cronogramas, proporcionando pontualidade e bem estar para a noiva. Não é um mercado para aventureiros. Pesquise bastante e se aperfeiçoe no assunto.


2. Não sugira corte de cabelo antes do penteado, ainda mais se tratando de noiva. Não é o momento de mudanças radicais, nem no comprimento e nem na cor. A extensão do cabelo é necessária para proporcionar as nuances, seja do clássico ou do descontraído, preso ou solto.

3. Através do penteado podemos disfarçar imperfeições e realçar o belo. Os looks clássicos deixam o rosto e ombros em evidência. Os descontraídos proporcionam mais movimentos para cobrir testa, orelhas, pescoço e ombros. Cabelo ameniza nariz ou orelhas grandes, por exemplo; pode suavizar traços de expressão, manchas na pele, ombros largos, entre tantas outras particularidades. Então, fique alerta, pois qualquer clássico deixará os traços físicos ainda mais aparentes; portanto, na escolha entre esse estilo e o descontraído, analise bem os traços físicos da sua cliente. A vantagem do cabelo descontraído é que as nuances criadas com mechas modeladas redesenham o rosto. “Pentear é a arte de equilibrar formas”, completa Persil.

4. Definido se fará um clássico ou descontraído, a próxima decisão é quanto a fazer um look preso, semi-preso ou solto. O estilo da noiva em sintonia com o modelo do vestido induzem essa escolha. “Sugiro sempre evitar a mistura de tecido em excesso com o cabelo; ou seja, para tomara-que-caia ou alças caem bem os cabelos semi-presos ou soltos. Já para os vestidos de gola, cava americana ou acessórios no pescoço, aposte nos penteados presos”, revela Persil.


5. O Teste de Penteado é fundamental. Sem provar, sem testar, não há a segurança da escolha correta. Entenda que mesmo que a cliente tenha o penteado ideal na cabeça, pode não se sentir feliz com ele materializado no dia, sem tempo para trocar. Evite surpresas indesejáveis. E que a noiva chore só de alegria no grande dia! Através do teste o profissional realiza a assessoria de estilo e conhece a cliente. Qualquer insegurança pode ser resolvida com uma troca ou adaptação do penteado ainda no teste. Trabalhe com uma ficha técnica com todas as informações sobre a noiva e fotos; no dia apenas copie o penteado decidido.


6. O penteado de revista nem sempre cai bem na cliente. Mesmo com referências em mãos, tente induzir a noiva à decisão mais sensata. São analisadas características como: comprimento, volume, textura, cor, corte, etc. Se o cabelo não segura ondas, por exemplo, porque insistir em um semi-preso princesa? “Eu costumo falar com minhas clientes que já combinei com os santos; eles não se metem em cabelo e eu não me meto em milagres! Se o cabelo não funciona para aquele tipo de penteado, o profissional especialista deve saber falar e é bom que a noiva entenda”, afirma o expert.

7. Quanto a acessórios, flores e fitas são mais democráticas; funcionam com quase todos os estilos, em especial com os penteados a lá Persil, descontraídos. Estamos vivendo um momento de liberdade de escolha para acessórios de noivas. Pode usar brilho durante o dia e flores à noite. Pode casar com ou sem acessório. Podem os grandes ou pequenos.

Ficha técnica:
Fotos: Leandro Lourenço
Noiva: Alessandra Gouveia 
Penteado: Paulo Persil
Make-up: Edu Oliveira
Espaço: Persil Hair & Beauty, Casa Branca, 720.
Imagens devidamente autorizadas.

Paulo Persil, cabeleireiro e empresário, expert em beleza. Saiba mais emwww.paulopersil.com.br | Instagran: @paulopersil

Nenhum comentário

Se você tem um comentário, seja ela uma dúvida, crítica ou sugestão, este espaço é aberto para você:

Tecnologia do Blogger.