Header Ads

Gaby Amarantos arrasa em entrevista exclusiva para a Revista QUEM, vestindo atelier Victoria.


Uma das cantoras mais queridas do Brasil, com quase 2 Milhões de seguidores, Gaby Amarantos, arrasa em entrevista exclusiva para a Revista QUEM, vestindo atelier Victoria. 
Obrigada Revista Quem pela matéria incrível!

Vejam abaixo a matéria na íntegra:



A cantora, que completou 36 anos recentemente, bateu um papo com QUEM sobre sua nova fase, afirmou estar se sentindo muito bem com o próprio corpo e disse que quer alçar novos voos: a carreira internacional

Gaby Amarantos (Foto: Deco Rodrigues / editora Globo)
Gaby Amarantos, de 36 anos, ostenta luxo e muita personalidade, mas futilidade passa longe da paraense, que esteve no Valle Nevado, no Chile, em sua primeira experiência na neve. “Sou da floresta, do calor e me apresentaram a outro tipo de beleza natural. Fiquei extasiada”, revela. Inclusive, foi lá que ela deixou a sua marca ao escolher um traje ousadíssimo para posar para QUEM: um vestido longo tomara-que-caia, da Victoria Alta Costura, que deixou muitas pessoas - que corriam do frio de -10°C - impressionadas.
Essa singularidade reflete não só na vida pessoal. A sua música é diferente e está cada vez mais popular. Com ela, Gaby difunde a sua cultura e se envolve em movimentos sociais a fim de mostrar que as minorias também têm vez. “Sinto falta de mais negras, de mais negros. Artistas que, além da beleza e da estética, tenha uma história de vida de superação. Por isso, paro e penso: ‘Olha só onde cheguei. Que legal poder falar um pouco da minha história para as pessoas saberem que o artista é um ser humano como outro qualquer. Elas também podem atingir os objetivos delas. Não só pelo glamour, pelo cabelo liso, loiro e olhos azuis, mas pelo que elas são por dentro”, explicou.
Gaby Amarantos (Foto: Deco Rodrigues / editora Globo)
Não dá para contestar, já que a cantora vem colhendo os frutos de todo o trabalho duro de anos. Gaby, aliás, acredita no poder da atração. “Sou uma pessoa muito espiritual. Muito energia positiva. Tudo o que aconteceu na minha vida, eu desejei e atraí. Acreditei que poderia acontecer. Sempre agradeço por tudo que estou vivendo. Estou aqui como um grande imã de energia positiva. Por isso a minha vida é muito abençoada. Gosto de falar disso porque as pessoas precisam acreditar mais na magia da atração e da gratidão, também.”
Não é à toa que a paraense tem ganhado destaque na mídia internacional, saindo em jornais como o britânico The Guardian. “Isso está me trazendo novos frutos de continuar a levar essa cultura, que não é só da Amazônia, mas que é do Brasil para fora. Para perceberem essa nova estética cultural da periferia, que conseguiu se firmar e hoje conquista muita gente”, afirmou ela, antes de completar: “A minha meta é continuar fazendo meus discos, minhas campanhas e meu trabalho social”
O Brasil precisa desencaretar. Aqui, fui uma andorinha só, pois trago um movimento diferente"
Gaby Amarantos
Gaby sabe da importância de ter visibilidade internacional, que, segundo ela, reverte os olhares do brasileiro para o que tem dentro do País e ajuda a valorizar o que é produzido nacionalmente. “É bem especial. Reflete muito positivamente no Brasil. Temos essa coisa cultural de quando alguém de fora fala bem, então prestamos mais atenção. Mesmo já estando no mercado e sendo uma cantora conhecida, ainda estou me estabilizando. Não me considero uma artista consolidada. Tenho muito trabalho a fazer”, explicou ela, que tem apenas um álbum lançado, oTreme (2012), mas que guarda muitos sucessos debaixo das mangas como Ex-Mai Love,Chuva e (Ela Tá) Beba Doida.
Gaby Amarantos (Foto: Deco Rodrigues / editora Globo)
A paraense vai aproveitar o ensejo para produzir algo para o mercado internacional. “Tenho vontade de gravar um álbum em inglês. Não por inteiro, apenas algumas faixas. Estou estudando inglês justamente para aproveitar essa internacionalização, porque as pessoas estão muito interessadas. Teve um momento que quisemos, mas o mercado lá fora achava exótico. Agora, eles querem saber e pedem apresentações”, contou animada.
Gaby acredita que seu jeito único é mais compreendido fora do País. “O trabalho internacional me possibilita ser mais ousada. O Brasil precisa desencaretar. Aqui, fui uma andorinha só, pois trago um movimento diferente. É por isso que a capa do meu CD tem raios laser saindo do meu peito. É como se eu estivesse arrombando a porta e dizendo: ‘abre que eu vou passar’. Não adianta me deter que vou trazer a minha cultura.”
A vida pessoal, por outro lado, ela tenta levar tranquilamente. Sempre que pode, está com o filho, Davi, de 5 anos, em Belém. Quando viaja para shows, tenta não perder nada que o garoto faz. “Minha base é lá. Procuro potencializar todo o tempo que tenho com ele e transformar. Digo para o Davi que a gente tem uma vida mágica. Sempre crio alguma coisa lúdica para ele se sentir muito feliz quando estou por perto. Quando não estou, minha família sempre está. Ele é uma criança muito feliz.” Já quando o assunto é o coração, Gaby deixa claro que está em ótima fase, mas prefere ser mais reservada e não assumir um namoro. Questionada sobre a identidade de um possível pretendente, ela apenas sorriu, antes de responder: “Meu coração está feliz. Vivo uma fase que é bastante especial.”
Gaby Amarantos (Foto: Deco Rodrigues / editora Globo)
Ícone de saúde
Gaby Amarantos se viu em meio aos holofotes ao aceitar participar do Medida Certa, quadro doFantástico, que a ajudou a perder mais de 10kg, em 2013. A perda de peso fez com que ela entendesse a importância de se manter saudável. De acordo com ela, é muito mais do que estética. “Quero ser ícone de saúde. Deixo bem claro isso. Estou respirando muito melhor. Me alimentando muito bem. Nem estou malhando tanto, mas só de estar comendo bem já faz diferença no meu corpo e pele. E isso é importante. É a mensagem que estou querendo passar para as pessoas: o quanto você pode também ser feliz através da boa forma.”

Muito embora a cobrança com o corpo ainda exista, ela afirma que não tem medo de engordar e aceita as suas curvas como elas são. “Passei a me policiar mais. Não vou comer certas coisas porque faz mal para minha saúde. Se eu beber, essa bebida alcoólica pode atacar meu estômago e vai fazer mal para as minhas cordas vocais. Então, penso: ‘Não vou beber, não vou comer esse pão porque vai fermentar’. É a questão da saúde acima de tudo. O corpo, a beleza e estética? Tudo consequência.”
Gaby Amarantos (Foto: Deco Rodrigues / editora Globo)

Nenhum comentário

Se você tem um comentário, seja ela uma dúvida, crítica ou sugestão, este espaço é aberto para você:

Tecnologia do Blogger.